04 janeiro 2014

Resenha | O Teorema Katherine, John Green


Sinopse: Após seu mais recente e traumático pé na bunda - o décimo nono de sua ainda jovem vida, todos perpetrados por namoradas de nome Katherine - Colin Singleton resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e o melhor amigo no carona, o ex-criança prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar o fora, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines, que tornará possível antever, através da linguagem universal da matemática, o desfecho de qualquer relacionamento antes mesmo que as duas pessoas se conheçam.
 Uma descoberta que vai entrar para a história, vai vingar séculos de injusta vantagem entre Terminantes e Terminados e, enfim, elevará Colin Singleton diretamente ao distinto posto de gênio da humanidade. Também, é claro, vai ajudá-lo a reconquistar sua garota. Ou, pelo menos, é isso o que ele espera.




Autor: John Green
     Editora: Intríseca
          Páginas: 200
     Tipo: Arquivo PDF

Resenha:

Divertido e inteligente, mais uma vez o autor me surpreendeu com sua mente brilhante, personagens eloquentes e aventuras plausíveis e intrinsecamente cotidianas.
  O livro conta a historia de Colin Singleton um garoto prodígio que quer se tornar um gênio. Colin além de ser exigente demais consigo mesmo tem uma leve Fobia Social e o que eu apelidei carinhosamente de Síndrome-do-pé-na-bunda o que faz o nosso fabuloso prodígio – num momento de adrenalina - descobrir/criar o Teorema Katherine.
 Apaixonado sempre pelas mesmas 9 letras, Colin revive mais uma vez as emoções da perda depois do fim do relacionamento com a K19. Incentivado pelo seu melhor amigo Hassan, resolvem então cair na estrada em busca de aventuras que o leve a esquecer as lembranças de sua ultima namorada ou – se o destino permitir – encontrar uma nova Katherine.
  Assim como no livro anterior do autor “A Culpa é das Estrelas” o título não me foi tanto atrativo, o que é bom já que, começamos sem expectativas e somos alimentados gradativamente tendo nossa atenção e devoção deliciosamente roubadas de forma insípida.
  O Teorema em si, é fácil e excitante com todas as explicações oferecidas, ficamos fascinados não só com a genial e incomum idéia do autor como coma funcionalidade e eficácia dos resultados. O livro nos dá em suas 10 ultimas páginas um Prólogo matemático mais explicativo sobre o Teorema do Colin, ou melhor, O Teorema Katherine.
  Como todos os livros do autor – fala agora a garota que só leu dois até o momento – a leitura é dinâmica, de um cenário fácil de se imaginar e desde o inicio envolvente.  A unica coisa incomoda no livro são as inumras e necessárias notas de rodapé, que torna a leitura um pouco cansativa.

   Como um comentário a mais, acho que não poderia haver outra editora que se encaixasse tanto as obras do autor, dando um significado palpável a palavra perfeição.
  Enfim, este é com certeza, outro livro de John Green que pode infelizmente ser adotado pela cinematografia. Um livro que indico certamente.




Beijos, Milla Almeida.

7 comentários:

  1. Estou lendo este livro, mas não estou suportando!
    O protagonista é muito chato!!!! kkkkkkkkk
    Parabéns pela resenha!
    Beijos,
    Marcela.
    ocantinholiterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele é realmente chato! kkkk
      Mas, você vai gostar no final!

      Excluir
  2. Estou lendo este livro, mas não estou suportando!
    O protagonista é muito chato!!!! kkkkkkkkk
    Parabéns pela resenha!
    Beijos,
    Marcela.
    ocantinholiterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Olá! Para ser sincera, não tenho vontade de ler esse livro e nem "A culpa é das estrelas", parece loucura mas sei lá haha. Todavia, adorei sua resenha! A ideia do livro é inusitada, com certeza, mas parece ser uma leitura relaxante.
    Beijos,
    Renata.
    viciadas-em-livros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também não tinha vontade de ler nenhum dos livros do autor. Acho que toda essa repercussão e fama meio que me intimidava, mas, arrisquei e gostei. Quem sabe você não tenta também? rs
      Beijos!

      Excluir
  4. Sua resenha ficou ótima e eu teno uma visão completamente diferente kkkk
    Eu não gostei muito não, achei Colin cansativo, o que salvou a narrativa foi o Hassan com seu jeito brincalhão =]

    http://rotinadafelicidade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Badalhoca! kkkkk.... Obrigada Claudia!!
      O Calin é realmente muito chato, mas, ele tem seus encantos.
      Beijos

      Excluir