08 abril 2014

Resenha | A Maldição do Cigano, Stephen King


Sinopse: Um advogado gordo mata por atropelamento uma senhora que casualmente é filha do patriarca de um clã de ciganos. A vingança do velho se resume em uma maldição: Billy Halleck emagrecerá a cada dia, por mais que coma, até se transformar em nada mais que um feixe de ossos.


Autor: Stephen King
Editora: Suma Letras
Páginas: 288
Tipo: Livro

Resenha

 Depois que conheci Stephen King graças ao livro Duma Key fui absorvendo uma a uma – ao menos as que me eram disponíveis – das suas obras e conheci este livro pelo nome de A Maldição do Cigano.

 Billy Halleck é um advogado contundente e capaz de realizar qualquer façanha para ganhar o caso em que esteja envolvido. Além de sua majestosa carreira Billy tem obesidade e recusa-se a seguir seriamente qualquer dieta embora futuramente tamanha displicência e teimosia provoquem sua morte. Voltando para casa – embebido em prazer - ele atropela uma senhora filha do líder de um clã cigano, livra-se facilmente da acusação de homicídio com a ajuda de seus amigos que ocupam cargos de renome, mas não livrar-se da vingança do velho cigano.

 De um dia para o outro Billy começa a perder uma quantidade incomum de calorias sem qualquer explicação lógica levado a um emagrecimento crônico e descontrolado e seus amigos que o ajudaram a se livrar da acusação apresentam mudanças macabras e amedrontadoras tão inexplicáveis quanto. Halleck agora deve correr contra o tempo para livra-se da maldição antes que não passe de um saco de ossos humano.

 O suspense e expectativa que se cria na busca de Billy é enlouquecedor. Cada capitulo do livro inicia com a contagem de peso do personagem – o que me lembrou muito o Diário de Bridget Jones - e em certos momentos ele mostra-se tão baixo que é impossível não se consumir pelo desespero e até adiantar algumas páginas para ver até onde tudo vai. A paranoia que o personagem cria acaba também por envolver sua família nesta maldição mas, para saber como vocês vão ter que ler.

 Muitas das obras do autor tornaram-se filmes ou séries bastante conhecidas e amadas e este não foi diferente, em 1996 foi lançado um filme baseado no livro que ficou impressionante uma regravação assim como foi feito com o filme Carrie a estranha iria ficar muito bom.

 Contudo, este não é um dos melhores contos de terror do autor, mas o suspense é – como sempre – insuperável.   Devo reconhecer também que esta edição de capa branca foi sem dúvida uma das mais bonitas, mas não retrata com veracidade a essência da obra.



Beijos, Milla Almeida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário