09 junho 2014

Resenha | Moby Dick, Herman Melville

Sinopse: Na cidade de New Bedford, em Massachusetts, o marinheiro Ismael conhece o arpoador Queequeg e, juntos, partem para a ilha de Nantucket em busca de trabalho no mercado de caça às baleias. Lá, eles embarcaram no baleeiro Pequod para uma viagem de três anos aos mares do sul. Entre eles, tripulantes de diversas nacionalidades: os imediatos Starbuck, Stubb e Flask; os arpoadores Tashtego e Daggoo, além de Ahab, o sombrio capitão que ostenta uma enorme cicatriz do rosto ao pescoço e uma perna artificial, feita do osso de cachalote. Obcecado por encontrar a fera responsável por seus ferimentos e que nenhum arpoador jamais conseguiu abater - a temível "Moby Dick" -, o capitão Ahab conduz o baleeiro e toda a sua tripulação por uma rota de perigos e incertezas.

Autor: Herman Melville
Editora: Abril
Páginas: 288
Tipo: Livro


Resenha:

 Quem nunca ouviu, quando criança, especulações  sobre o clássico? Ou nunca ouviu aquele coleguinha mais gordinho da sala de aula ser chamado de Moby Dick? Quando criança cheguei a ouvir que Moby Dick foi a baleia que engoliu o Pinóquio. O que eu duvido realmente é que amenos parte de vocês tenham ouvido algo real sobre este conto.

 Nesta adaptação da Rita Galvão é de fazer o leitor enlouquecer. Toda a aflição e ansiedade vivida pelo capitão Ahab em alguns anos na procura da baleia é passada para nós de forma real e quase palpável, afinal de contas, o tão esperado encontro acontece algumas páginas antes do fim.


 Eu embarquei nesta aventura quase desesperada para conhecer tida a historia de perto e ainda mais, ver a Moby Dick. Ver? Pois é. É impossível não conter a impaciência e expectativa já que, bem ilustrado, nos sentimos parte da tripulação vivendo toda a ação e drama nos tornando mais que expectadores aflitos.









 O livro está numa edição Hardback que inclui além das ilustrações – que acredito terem sido feitas em aquarela – um glossário dos termos náuticos utilizados, notas de rodapé e um “manual” explicativo e educativo sobre baleias e seres marinhos.



 Enfim, a grande expectativa sobre toda a história é saber se quem morre, a baleia ou capitão Ahab e entender a motivação de um homem a procurar o que pode não passar de um fantasma ou folclore. Isso eu já não posso responder – porque sou uma pessoa muito má – apenas posso garantir que essa é uma daquelas histórias que desmente tudo o que você já ouviu.


Beijos, Milla Almeida.




Comentários:

4 comentários:

  1. O livro parece ser incrível, mas não tem como não falar dessa diagramação: de tirar o fôlego.
    Fiquei babando na obra.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de junho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkk, nem diga.
      Obrigada pela visita.
      Beijos.

      Excluir
  2. Aah, eu já ouvi falar nesse livro! Que legal, não sabia que a edição era assim *---* linda!
    Beijos,
    Renata.
    viciadas-em-livros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir