09 julho 2014

A Filha do Sangue, Anne Bishop


Sinopse: O Reino Distorcido se prepara para o cumprimento de uma antiga profecia: a chegada de uma nova Rainha, a Feiticeira que tem mais poder que o próprio Senhor do Inferno. Mas ela ainda é jovem, e por isso pode ser influencidade e corrompida. Quem a controlar terá domínio sobre o mundo. Três homens poderosos, inimigos viscerais - sabem disso. Saetan, Lucivar e Daemon logo percebem o poder que se esconde por trás dos olhos azuis daquela menina inocente. Assim começa um jogo cruel, de política e intriga, magia e traição, no qual as armas são o ódio e o amor. E cujo preço pode ser terrível e inimaginável.
Autor: Anne Bishop
Editora: Saída de Emergência Brasil
Páginas: 432
Tipo: Livro
Salve galera!! Como vocês já sabem, fui convidada a ser colunista do blog "Vícios em páginas". Esta é a minha resenha postada  originalmente por mim lá no blog. Vamos conferir?



 Quem nunca escolheu um livro pela capa? Eu fiz e não me arrependi. A Filha do Sangue é a melhor fantasia na qual viagem depois das Crônicas de Narnia.

 O primeiro livro da trilogia Joias Negras nos apresenta um novo mundo chamado Reino Distorcido, um mundo completamente dominado pela magia num reino dividido por castas cujo comando e autoridade é inteiro regido por mulheres - um diferencial incrível e marcante. Mas como todo bom e velho governo, a retidão e valores não duram para sempre e logo as governantes esquecem o significado se serem Filhas do Sangue e o real valor de suas pedras.

 Bem, o resto da historia vocês podem acompanhar pela sinopse e melhor ainda, lendo o livro. Algo que marca e choca logo no início do livro além do governo pleno matriarcal é descobrir que os homem possuem um colar de obediência que são colocados em sua genitália. Apesar de tudo, a ficção que nos rodeia é viva e indescritível. Os personagens são extremamente envolventes, impossível não se apaixonar pelo poder e sensualidade Daemon ou astúcia e paixão do Lucivar irmão tão diferentes quanto possível mas que acabam por ter o mesmo dever designado.

 A minha maior dor é saber que hoje não vivo mais num triangulo amoroso formado por Travis Maddox, e Warner Anderson e eu mas, num pentágono onde cabem além do Maxon - príncipe de Ilhéa do livro A Seleção - e Daemon, escravo sexual das sacerdotisas de Terreille.

 Cada capítulo do livro tem como rótulo de descrição o local do reino onde se passa o que nos permite imaginar a extensão do reino. Sobre a estética do livro vocês não podem discordar que é de tirar o fôlego ela é vazada e as joias de destaques na lateral parecem até real.

 Enfim, não vejo a hora de continuar a acompanhar a trilogia estou apaixonada!!



 Beijos, Milla Almeida.





Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Milla, eu sou louca para ler essa trilogia e adorei sua resenha. Fiquei babando pelo livro.

    M&N | http://desbravadoresdelivros.blogspot.com.br – Participe de nosso Top Comentarista (Seis livros a sua escolha – Dois vencedores)

    ResponderExcluir