15 setembro 2015

A CIDADE MURADA

Sinopse: A Cidade Murada é um terreno com ruas estreitas e sujas, onde vivem traficantes, assassinos e prostitutas. É também onde mora Dai, um garoto com um passado que o assombra. Para alcançar sua liberdade, ele terá de se envolver com a principal gangue e formar uma dupla com alguém que consiga fazer entregas de drogas muito rápido. Alguém como Jin, uma garota ágil e esperta que finge ser um menino para permanecer em segurança e procurar sua irmã. Mei Yee está mais perto do que ela imagina: presa num bordel, sonhando em fugir… até que Dai cruza seu caminho.
Inspirado num lugar que existiu, este romance cheio de adrenalina acompanha três jovens unidos pelo destino numa tentativa desesperada de escapar desse labirinto.

Páginas: 400
Editora: Seguinte

Essa é uma distopia diferente de todas que você já encontrou e surpreende porque, seus personagens não são inocentes, frígidos ou incapazes. Eles são sobreviventes.

O livro é nerrado em primeira pessoa, mas cada capítulo por um dos persoganes principais, somando três no total, entretanto para mim, dois deles já tornaria a historia fantástica. Seus nomes logo denunciam a naturalidade dos personagens e logo iremos entender suas conexões.

Jin Ling é forte, inflexível, que sobrevive as sombras da cidade murada com pequenos furtos e pernas ágeis para ajuda-la a correr, mais seu maior segredo é guardar sua feminimilidade afinal, para todos ali, ela é um menino. Daí Shing é misterioso, a escuridão tempestuosa do seu passado lhe trouxe a cidade murada e a única coisa que conhecemos bem é seu terno sentimento de culpa. Meu Yee... Eis a personagem que eu apagaria sem piedade destas páginas. Sofre com seu passado triste e sua condição iminente sua personalidade vitimista enjoa o leitor. Não obstante, sua falta de fé quanto a sua condição nos faz refletir sobre as possibilidade de escapatória.

Esses três personagens, como previsto, tem um interesse em comum: o desejo de liberdade. A liberdade da cidade, libertar-se daquilo que os prende ali.  E guiados por esse desejo, seremos apresentados a uma cidade esquecida, abandonada pelas autoridades, ministrada pelo ódio e sangue.

De longe, Jin foi a minha personagem favorita, não escondo que apesar de sua pouca idade e foco fixo, esperara um destino estilo Mullan. Independente, decidida, de caráter intransigente, ela me conquistou pela empatia, pelo amor autuista a sua irmã e por se mostrar capaz de realizar qualquer coisa por quem ama.

O mais intrigante da cidade murada é saber que ela existe. Uma muralha de edifícios que visto de cima parece um grande tijolo furence.

Apesar de desejar por uma pequena alteração na história, nada foi capaz de retardar o imenso prazer e ansiedade proporcionado pela leitura.

Li e recomendo.


Beijos, Milla Almeida.

4 comentários:

  1. Olá, Milla.
    Gosto de distopias e essa me pareceu interessante. Primeiro porque os personagens não são bobos, podemos dizer assim, e em segundo lugar porque a cidade realmente existe.
    Vou conferir a obra.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de setembro. Serão dois vencedores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vale a pena conferir.
      A distopia surpreende muito,
      bjs.

      Excluir
  2. Mais uma distopia para minha lista! Hahaha Que legal! Me interessou bastante, procurarei mais sobre o livro.

    Parabéns por mais uma resenha maravilhosa! ♥

    R.F. Orsi
    www.rforsi.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Orsi.
      Esta ai mais uma distopia que eu recomendo a todos lerem.
      Bjs.

      Excluir