09 outubro 2015

QUASE INOCENTES




Sinopse: "Crianças e terror. Duas palavras díspares, mas que combinam muito bem. Porque, quando justapostas, dão a garantia de emoções fortes, que nos atingem em um de nossos pontos mais vulneráveis: a fé absoluta que temos na inocência imaculada da tenra idade. 
Garotos e garotas perdidos. Alminhas assassinas. Pequenos monstros que horrorizam e repugnam. Que ferem e matam."

Martha Argel

Páginas: 130
Editora: Estronho/Literata




Quando, ao ler a sinopse percebi que o terror retratado seria o diferencial da leitura logo imaginei pequenos e ágeis psicopatas, destemidos, desdenhosos, desorganizados e imprudentes. De certa maneira, estava certa.

Um livro de contos de terror onde os algozes são nada mais que figuras infantis, com seus sorrisos singelos e olhar encantador. Todos os contos tem uma influencia sobrenatural que irá agir junto com as crianças, seja vampiros, fantasmas ou demônios, no final, o resultado é sempre muito sangue.

As historias são curtas o que deixa no leitor a ansiedade de descobrir o que poderia acontecer além daquele cenário ou até onde a leitura seira capaz de nos levar. Para mim, a associação de algo visto com franqueza e amor com o foco do mal que irá causar destruição é sempre uma combinação perfeita e dá ótimos resultados quanto a assustar o leitor.

O livro é o segundo do que parece uma série relacionada ao gênero, baseado na minha leitura e experiencia pessoal, não sentir a necessidade de ler o primeiro para identificar os aspectos no segundo livro.

Beijos, Milla Almeida.

2 comentários:

  1. Não conhecia o livro, me interessei!!

    Beijinhos :*
    Sankas Books

    ResponderExcluir
  2. Meio perturbador, nunca tinha imaginado uma história com pequenos psicopatas. Vou adicionar a lista porque fiquei intrigada.
    Beijos.
    http://recolhendopalavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir